sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

A capa do Niccolò (Via della Spiga)

A capa do Niccolò

Eu sou urbano, a sério que sou. Ou vá, tenho-me como tal ao menos (que daí a ser bem que pode ir um passo...ou dois ou três). Mas gosto dos traços rurais e, mais que tudo, da presença cordata do que não contraria o seu preciso contrário sem deixar de ser o que é. Da peça que, apesar de rústica, nos transporta para uma modernidade cosmopolita que vê para além da mesma urbe de sempre. Já o disse aqui, vesti ali e aqui e, bem perto de me encantar terei ficado por aqui. E mais não digo, que ao contrário do que pensam as dezenas de pessoas que já me escreveram a perguntar, não vendo capas, nem capotes ou samarras. Nem o nosso protagonista tão-pouco. Mas vos garanto, sair-me-ia mui bem. E está bem visto, o Niccolò também

32 comentários:

rosaamarela disse...

lindooooooooo de morrer !

Ivânia Santos (Diamond) disse...

Oh la laaa...


fantástico!!!

SZ disse...

very nice!

Ricardo disse...

lol

a capa até teria potencial, mas essa capa toda armada para o frio e depois andar de calça branca de algodão num dia de inverno com chuva...

ulala....

Isabel I disse...

Eu já falei aqui dos italianos, não já? Pois as pizzas, e a torre de Pisa, e Florença e os Uffizi e o lago di Como e Milão e o Duomo e a Mónica Belluci... tudo muito lindo. Mas o melhor de Itália são mesmo os italianos, os italianos, os italianos, Ponto final.

Ariadne disse...

Adorei,a capa fica-lhe demais!!
Bom fim de semana.

Rute disse...

A capa deve ser bem quentinha! Vem mesmo a calhar para o frio que está. E o moço também não é completamente desengraçado ;)

anita disse...

Que bom haver pessoas que já percebram que, por ser preto, não protege melhor do frio. O branco também consegue fazer um bom trabalho. E a capa, que grande coragem. Adoro o look. Confesso que a minha parte preferida de ir à GOlegã todos os anos é ver homens sem medo de julgamentos, de capote e samarra sem arriscar. Super-sentido estético, super coordenação de peças e um look clássico com uma peça disruptiva. Não há como não gostar.

Daniela do Carmo disse...

Que capa?? Estou hipnotizada por esses olhos intensos do Niccolò! Maravilha!!!! Adoro olhos intensos!

Mimmo Spazzo disse...

Enjoy !

http:/alfaiatelisboetamustdie.blogspot.com/

Patrícia Amaral disse...

Adoro o Niccolò, amo o Niccolò, amo a foto, amo a capa, amo Itália.......se eu encontrasse este homem na rua despenteava-me lolol...

Fernanda disse...

Oh também quero essa capa rústica ... ia ficar tão bem no meu armário junto à minha capa naval :)

******

Anónimo disse...

Na geração acima da minha ainda havia quem usasse umas capas bem citadinas capas, descendentes daquelas que se punham por cima das casacas.
E esta que fotografou pouco tem de rural.

Anónimo disse...

Reclamar com a calça branca num dia de inverno... ja cá faltava o comentario à treinador de bancada... vivam os preconceitos e ideias pre formatadas.

Sónia disse...

Pena as samarras e os capotes terem caído em desuso por cá... mesmo no nosso mundo rural... da mesma forma que é pena não termos mais inspiração nas roupas tradicionais, as quais poderiam inspirar peças muito originais e actuais...

Maria João de Perestrello disse...

perfeito

Inês disse...

Tenho uma. sou fã. :)
beijo

Ricardo disse...

Ninguem reclamou do branco, mas sim calça branca de algodão.... ainda se fosse algodão mas em veludo até funcionava com o frio.... assim só se o senhor andar de collants! e nao é nehuma critica pois eu uso nos dias mais frios!

Stela ALVES disse...

Nao gostei so da capa mas do que está dentro!!!
Ambos lindos!!
Street Style by Stela

Anónimo disse...

O meu professor na universidade usava bastante o capote alentejano, fica bem especialmente em homens altos. Esta capa é bonita, pena ter cortado os pés ao senhor...

B. disse...

super giro!!!

Xo
B.

http://cocktailsandthoughts.blogspot.com/

Anónimo disse...

quem tem capa sempre escapa...
mas duvido que este mesmo com capa, escape...com tanto adjectivo qualificativo!!!
Enfim...são as tendências...
((*_*)\

vera. disse...

São tecidos, traços de autenticidade. Afinal não é disso que se trata, fotografar o infotografável? O brilho condensado de uma presença?

The Styleograph disse...

yeah I love these pictures in the rain!

The Styleograph

Anónimo disse...

Tu és o melhor. a serio que es! grande abraço JVC (best picture of Q4 2010)

Anónimo disse...

:) parece um príncipe...

Cristina P.

Luísa disse...

Adoro a foto, a capa e o modelo ;) muito giro!

Anónimo disse...

Ainda no outro dia ao ver um (provavelmente alentejano) com uma samarra comentei com o amigo com quem estava que com um corte ligeiramente diferente aquela peça era capaz de se transformar numa coisa moderna.
O comentário dele foi "isso é coisa para velhos. Só sais comigo à rua com uma coisa dessas quando tiveres 60 anos..."

Pois este post ilustra na perfeição aquilo que eu lhe queria dizer (e claro que já lhe reencaminhei o link para lhe mostrar como tinha razão hehehe)

Budymary disse...

Isto é que é atitude...
Está a beleza desta foto na capa que se traz vestida ou na atitude de quem a veste?

Parabéns pelas fotos inspiradoras e pelos textos bem escritos e despretenciosos!

Rui disse...

from terrugem to the world... e eu a pensar que na terrugem só havia uns semáforos chatos a caminho do magoito, afinal... :P
uma foto excelente, um look bestial. agora gostava do ver em ti. na terrugem. a dar alguma cor à localidade...
abraço!

Mónica disse...

piu bella cosa... o capote é fabuloso mas o modelo é assim glorioso

Anónimo disse...

Não gosto da capa, para isso preferia um capote alentejano ficaria bem mais geitoso