terça-feira, 27 de Abril de 2010

Indochina meu amor






71 comentários:

A. disse...

um bocadinho colonial-demais, a roçar o kitsch. Acho que devias ponderar fotografar gente que não se veste propositadamente para a fotografia (ou seja, as pessoas do dia-a-dia, vestidas tal como são).

A composição cromática é muito boa, porém!

Paulo F disse...

Um look absolutamente irrepreensível, dos meus favoritos ao nível masculino.
E depois, a única peça que pode porventura estar a mais (caso a fotografia tenha sido tirada numa das nossas praias ocidentais, senão nem isso...)será mesmo o chapéu colonial, mas acredito que tenha sido propositado, dando o "toque" ao título do post.
Eu, condesso, gostava de poder andar sempre assim, nem mais nem menos.
Um grande post, Alfaiate.
pf

Paulo F disse...

confesso
pf

Anónimo disse...

A. eu venho a este blog exactamente porque o alfaiate "pondera fotografar gente que nao se veste propositadamente para a fotografia" ! Não sei se percebeste mas esta sessão é diferente das outras.. Se calhar achas que quando anda a deambular pelo chiado de máquina na mão já tem os modelos à espera nas esquinas! Desafio-te a ler um pouco mais do blog! Abraço El Gonga

Anónimo disse...

ó alfaiate
o ar arrogante deste senhor não me faria ter vontade de olhar para ele 2 vezes..
não engana ninguém..não há indumentária que o safe..

Afonso t. disse...

Este Senhor é o maior!!
Parabéns alfaiate, excelente sequência de fotos.

Anónimo disse...

Sans doute, une des meilleures photos du blog! Fantastique!

Anónimo disse...

Só quem não conhece o estilo de vida nos trópicos e sua indumentária é que é capaz de tecer comentários que roçam o preconceito e o ridículo.
Será Tripoli ou Indochina?

solta disse...

Gosto das fotos.
E da composição gráfica!

Anónimo disse...

Caricato, como ele mesmo é, a roçar o ridículo.
Engraçado como o modo de estar na vida deste miúdo transparece tão bem nas fotografias.
Concordo que não há indumentária que o safe dele próprio.
A composição é muito boa, mas não há como se soltar da figureta.

Freddie disse...

Tem o ar prepotente de quem bate nos empregados com uma chibata. Aliás, já o vi numa manifestação em Lisboa, com uma indumentária muito similar. Não é que as políticas interessem para aqui, mas há certas opções que dizem muito acerca das pessoas. E mais não digo.

Maria Pink Sushi disse...

Apesar de ter um ar absolutamente blasé, adorei as fotos!

Ja vi este "menino" várias vezes e a postura é sp a mm!

kiss**

Anónimo disse...

Ai o Vitório Vitorino!!!
My Oh My!

Pepa Xavier disse...

Eu adoro o chapéu. Será que esta gente ñ percebe que com esta mentalidade NUNCA vamos encontrar ng verdadeiramente interessante nas ruas? Se em Milão, Paris, Nova Iorque, Japão, Londres, etc...se vestem assim (e ñ tnh nada contra o kitsch) pq q em Lisboa aka linha (penso eu) as pessoas q se vestem de maneira um bocadinho mais excentrica são rotoladas de show-off e original-apenas-para-a-fotografia?

Jacinto disse...

Que fotos!!! Meus senhores, esquecendo as diplomacias, as políticas, e as correntes de pensamento.. É deveras um look fantástico de verão! :)

Anónimo disse...

Pepa Xavier,
O que "esta gente" (eu) não percebe é como é que esta figureta permanece neste estado de ser e de viver.
Este não é "apenas-para-a-fotografia". Esta fotografia captou a realidade crua, nada nua.

O Alfaiate Lisboeta disse...

A.
para quem aparece aqui com frequência há já um ano (não devo errar muito no meu arredondamento) encontrar defeitos regulares naquilo que fotografo ou escrevo não consigo deixar de estranhar que me venhas sugerir que pondere fazer precisamente aquilo que eu mais faço - fotografar "pessoas do dia-a-dia, vestidas tal como são"
acredites ou não, o modelo está vestido tal qual ele é

Anónimo disse...

Um estilo muito próprio do Foreign Service britânico.

Anónimo disse...

Este rapaz tem um ar austero, ainda assim, muito bom gosto. Pormenor: óculos de sol.

Anónimo disse...

Para quem não sabe o modelo anda mesmo assim vestido, já o vi com trajes parecidos no Chiado e Lux...

inês disse...

É pá! Mas afinal quem é o gajo??? Pelos comentários, até parece que é conhecido aí no burgo...
Deixando o gossip de parte, gostei imenso da técnica de "cortar" a fotografia em dois, para imaginar como ficaria aquele csaco com outras calças ou as calças com outro casaco. Como nos jogos antigos das bonecas de papelão.

Anónimo disse...

Estas fotos estão impecáveis! as roupas conjugam muito bem com o mar em pano de fundo, e o modelo está com a atitude correcta... se imaginarem a alternativa de ele fazer um sorriso ternurento para a câmara em vez desta postura auto-confiante, acho que percebem aonde eu quero chegar...:) Abraços Andre B

Migonga disse...

"(...)He smells pleasantly of English cigarettes, expensive perfume, honey, his skin has taken on the scent of silk, the fruity smell of silk tussore, the smell of gold, he’s desirable. I tell him of this desire. He tells me to wait awhile. Talks to me, says he knew right away, when we were crossing the river, that I’d be like this after my first lover, that I’d love love, he says he knows now I’ll deceive him and deceive all the men I’m ever with(..)" - The lover - Marguerite Duras

Anónimo disse...

Não era necessário ofender a Marguerite Duras

António Prates disse...

L'immagine di questo uomo rappresenta la luce dei miei occhi un festival di ipotesi, e una serie di congetture che affinare il mio istinto speculativo. Mi sembra una visione del mondo artificiale dei tempi moderni, dove l'eleganza si fonde con il mistero, e dove la saggezza si profila dietro i lembi del puzzle del silenzio.

Grande la vita!

Anónimo disse...

Vou roubar as palavras que foram aqui sabiamente escritas anteriormente: "Sans doute, une des meilleures photos du blog! Fantastique!". Mais acrescento: "No, it's all true. Herodotus, your friend. He writes about it. And he writes about... a, a wind, the simoon, which a nation thought was so evil they declared war on it and marched out against it. In full battle dress. Their swords raised." (The English Patient) Parabéns!! Muito, muito bom trabalho!

Isabel I disse...

Incapaz de igualar alguns comentadores pelo seu poliglotismo (???) e outros comentadores pelo seu cosmopolitismo, outros ainda pela sua erudição, olho a foto e lembra-me um tempo que já passou, que podia ter tido os seus encantos mas que também teve os seus horrores. Para alguns pode ter sido bom. Mas acabou-se.

Anónimo disse...

From Tripoli to Egypt, exploring the Cave of Swimmers and meanwhile, "there was that small indentation at her throat we called the Bosphorus. I would drive from her shoulder into the Bosphorus. Rest my eye there." (p. 253 - The English Patient)

Anónimo disse...

italiano!
porquê?

Anónimo disse...

Credo que faz lembrar-me tudo menos "O Amante".

Bruno Leal disse...

Já tinha perdido o hábito de vir a este blog dada a falta de originalidade dos fotografados e no fundo, do fotógrafo, que me parece ter dado muitas vezes preferência ao que não deveria dar.
No entanto, este post veio repor a qualidade que eu já pensava estar perdida. Ainda bem que me engano tantas vezes, porque a vida sabe bem melhor assim.
Bons posts!

Ophelia ;) disse...

Oh Migonga, se não te conhecesse diria que esta foi a mais bonita declaração de amor gay que já passou por aqui por estas páginas!! Baruch at Adonai!! Mas é bonito de ver o amor em todas as suas formas!!
Em relação ao ensemble, não sei porquê, mas faz-me lembrar a batalha do estreito de Dardanelos na 1ª Guerra Mundial e correspondente desembarque nas costas da Turquia
Parabéns ao fotógrafo!

karura disse...

Demais! Adorei!! De repente pensei que estivesse numa mistura de "Africa minha" com um filme de Bollywood! Muito bem apanhado!

António Correia disse...

Considero esquisito não se gostar destas fotos. Se isto fosse Sartorialist tinham centenas de comentários elogiosos. Mas como o Alfaiate não é super vedeta americana lá se deita abaixo o que é português.

Anónimo disse...

Amei tudo, desde o fato ao chapéu e à magnífica gravata. As fotografias estão abusadas!

Ayres disse...

Alfaiate,50 estrelas para este senhor.Fotografia fantastica com um cenário adequado ao fato de linho que lhe veste o corpo.

Abraço

Ayres

Anónimo disse...

Podem gostar ou não da pessoa, mas este menino é sem duvida das pessoas que melhor se veste em Lisboa. Quanto às fotografias, excelentes. Gostei muito da ultima.
Parabéns!

JCE disse...

Muitos parabéns ao Alfaiate, por ter captado tão bem um cavalheiro com gosto clássico à antiga como há muito não se vê. Os olhos de lince do Mestre Ayres secaram qualquer margem para se ter dúvidas.

Well done Sir!

Mia disse...

Gostei de tudo. Parabéns, Alfaiate!
Politiquices à parte, O V. está sempre impecável e embora não seja o meu género, este estilo assenta-lhe que nem uma luva.
As fotografias e a composição estão um must! Mais uma vez parabéns! :)

Anónimo disse...

Concordo, com a Mia... V.=IMPEC!

Patty disse...

Gosto. Muito.
Da pose, das fotos.

sofia disse...

Alfaiate, lindo como sempre... de post para post nota-se uma evolução nas fotos. Parabéns! :)

Mas, afinal... quem é esta personagem?!

Henry AGPY. disse...

Óh Alfaiate,

Será a encarnação do último Imperador no exílio? De qualquer forma gostei e foi uma lufada de ar fresco.Continua rapaz!

Anónimo disse...

Isto é arte. Muito bom, de gala.

Maria disse...

Já o vi assim trajado, cheio de brio, a marchar no Lux. Para Imperador faltava pouco...

Anónimo disse...

Um retrato de uma belíssima era onde os homens saíam em defesa da honra e aventuravam-se em busca da glória.

Isabel I disse...

E se aventuravam em busca da " glória de mandar" e da "vã cobiça" e faziam fortunas e viviam regaladamente à custa do trabalho escravo de quem tinha contra si a cor da pele. Belíssima era?

Anónimo disse...

(não sei se ficou registada a resposta, mas aqui vai de novo)...Isabel I, Belíssima era sim, aquela em que os colonizadores se sentavam à mesa de jantar, com as suas respectivas mulheres indígenas ou nativas ou "colonizadas" à sua direita, rodeados pelos seus filhos colonos e miscigenados à volta. Eis o milagre da colonização portuguesa longe da dinâmica anglo e saxónica, e totalmente desenquadrada da lógica crítica e dinâmica da luta de classes, da história dos oprimidos e dos opressores...o verão quente já lá vai ou estará para chegar de novo?
Sendo por um mundo aberto ao mundo, do mundo que demos ao mundo, recorda-me as sábias palavras de um diplomata brasileiro em que descreve a raça portuguesa como a "raça estraga-raças", mal chegam e misturam-se, e assim iniciou-se o culto da globalização. O figurino na foto até tem ar de Boère, não tem? ;)

Isabel I disse...

Caro anónimo , não vou discutir consigo ideologias, nem lutas de classes, nem verões quentes que possivelmente nem viveu.Deixo-o com a sua ilusão de "milagre de colonização portuguesa", com a sua visão romanceada de uma realidade duríssima e injusta. Este não é o lugar e já não é a hora para essa discussão. E felizmente o tempo não volta para trás, nem na moda. Cumprimentos

Anónimo disse...

Oh anónimo, então o meu caro vem com esse discurso completamente retrógrado, salazarista e racista? Olhe meu amigo, entre o que você defende e a luta de classes, eu prefiro a 100% a luta de classes. Informe-se sobre o que foi a vergonha da colonização portuguesa e depois diga qualquer coisa.

aviador disse...

Em suma...RIDÍCULO!

Amor, Solidariedade e Paz disse...

Deixem-se de politiquices, este não é o forum próprio, um bom antídoto aos discursos de ódios e de lutas é o verbo do Amor, da Solidariedade e da Paz.

Anónimo disse...

Não é "Hiroshima, meu amor"... a canção da Ia (Carte D') Or dos DaVinci?

Nancy Wilde disse...

Colonial, classy. Sabem o que isto me lembra?? O filme L'Amant.

Ana disse...

Summer chic

Marota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marota disse...

O corte na fotografia está bem conseguido. Com ele consegue-se fazer dum homem de 1,50m num de 1,65m :) adoro jeitosos armados em colonialistas, bem fazem cá um figurão. Eu não quero ser muito má, por isso vou calar o bigode. A boina deste senhor parece um penico de macacos. O tecido do fato é linho puro ou imitação.

Agostinho da Silva disse...

«Liberdade será cada pessoa ser aquilo que é e deixar tornar isso contagioso...Que todo o mundo seja "Portugal"»

Creio que uma das atitudes fundamentais do homem humano deve ser a de reconhecer em si, numa falta de compreensão ou numa falta de acção, a origem das deficiências que nota no ambiente em que vive; só começamos, na verdade, a melhorar quando deixamos de nos queixar dos outros para nos queixarmos de nós, quando nos resolvemos a fornecer nós mesmos ao mundo o que nos parece faltar-lhe; numa palavra, quando passamos de uma atitude de pessimista censura a uma atitude de criação optimista, optimista não quanto ao estado presente, mas quanto aos resultados futuros. O mesmo terá já dado um grande passo para impedir os ataques, quando aceitar que só puderam existir porque a sua acção não foi o que deveria ter sido; quando se lembrar ainda de que toda a sua coragem se não deve empregar a combater, mas a construir.

O homem não nasceu para trabalhar mas para criar.

Livre seja o Alfaiate e continue com a sua criação!

Jô disse...

Lol tinha acabado de ler no post anterior que o acusavam de não sair do bairro. Acho que não há praia no bairro:) Original e elegante este amante!

Jô disse...

Original e e elegante este amante!

J.L. disse...

Parece uma personagem saida de um qualquer grande clássico do cimena.
Dos melhores que já aqui passaram.
Excelente.

Anónimo disse...

Pessoas com uma pose destas são vistas com olhos de inveja neste pequeno meio português.

Fico curioso de onde se encontram estes perfis pelas nossas terras?

LVC disse...

"Ou fazendo que, mais que a de Medusa,
a vista vossa tema o Monte Atlante,
ou rompendo nos campos de Ampelusa
os muros de Marrocos e Trudante,
a minha já estimada e leda Musa
fico que em todo o mundo de vós cante,
de sorte que Alexandre em vós se veja,
sem à dita de Aquiles ter inveja!"

Fim d'Os Lusíadas

Anónimo disse...

Azul e branca, fotografia que tão bem contrasta com a anterior azul e negra. Ambos os conjuntos muito clássicos e que toque cosmopolita, que nível.

Anónimo disse...

ODEIO, A SéRIO::::::::::::::))))))))))))((((((())()))(())()()

Carminho disse...

Cada qual como o que gosta, quem não gosta, não come, mas também não chateia.

Pedro Lucena disse...

Adoro! Granda pinta! Então os oculos, AMO!
Parabéns... :)

Matilde disse...

Que pinta!O fato de linho fica-lhe a matar. A ultima foto é qualquer coisa!

Madalena disse...

adorei! este homem tem imensa pinta... a penultima fotografia está muito boa, gostei que não tivesse saturação - boa ideia.

xx
oladofutil.blogspot.com

Bárbara disse...

Olá!

Sou do Brasil. Encontrei teu blog durante uma pesquisa sobre a moda em Portugal.

Sabe o que eu achei? Lindo demais!!!

Tuas fotos são super bem produzidas e planejadas.

Estás de parabéns!

Diandra26 disse...

Amei esta Foto.

Se estivesse na tua posição Alfaiate,não ligaria a comentarios anónimos,nem me dignaria a responder ao que obviamente é:inveja pura e dura de um blog como o teu,e de fotos como as k tiras.

O portuguesinho sempre será assim:sempre que Alguém triunfa na realização dos seus sonhos,e se mostra Feliz,há sempre um Zé Povinho que aparece para,através da ofensa,tentar sentir-se superior na sua mediocridade.

O melhor a fazer é sempre...ignorar.Dá sempre valor aos que te valorizam e sabem Quem És,por detrás das fotos.

Os Outros?São apenas espelho desta Sociedade cada vez mais doente..de principios e Valores.


http://modabelezaconsultoriadeimagem.blogspot.com/