domingo, 31 de Maio de 2009

O meu primeiro turbante

O meu primeiro turbante

Se me perguntarem por um destino exótico o primeiro país que me ocorre é a Índia. Além disso tenho uma concepção hiper-romântica da mulher indiana e quando penso na sua versão masculina ocorre-me sempre aquela cena do Paciente Inglês em que a (personagem interpretada pela) Juliete Binoche se fica a babar ao ver o Naveen Andrews (Tenente Kip Singh) lavar o cabelo depois de o vermos tirar cuidadosamente o seu turbante.
Algumas das fotografias que aqui aparecem são conceitos que havia desenhado mentalmente e que aguardavam apenas a oportunidade certa para a sua concretização. O turbante era precisamente um deles. Reconheço que foi “ele” que me tinha levado de passagem pelo Martim Moniz e aproveito também para vos confessar que a última fotografia foi uma espécie de achado no meio de uma sequência que não era mais que um teste à luminosidade daquela praça. Mas o Martim Moniz e a ideia que dele têm os Lisboetas transporta-me para os aplausos com que brindamos Londres, Nova Iorque e todas essas metrópoles que servem de paradigmas aos “melting pots” e às “multiracial societies”. A verdade é que parecemos apreciar mais esses conceitos sociológicos quando se reproduzem a alguns milhares de quilómetros de distância das nossas casas. Não façam caso do plural, não é mais que uma forma (um tanto ou quanto) cobarde de tornar menos pesado o fardo deste meu acto de contrição – vês Mãe…perdi a fé em Deus, mas não na sua palavra.
E lembrei-me de tudo isto no momento em que voltei as costas a Balbir Singh. Só não sonhava que o seu apelido fosse o mesmo da personagem cinematográfica responsável pela minha visão charmosa do homem de origem indiana.

sexta-feira, 29 de Maio de 2009

quarta-feira, 27 de Maio de 2009

terça-feira, 26 de Maio de 2009

Lisboa tropical




Não me estou a lembrar de outra capital europeia onde os mergulhos no mar e a História se possam conjugar tão bem quanto em Lisboa. Imagino por exemplo, que para aqueles que vivem ali algures entre o canal da Mancha e o Mar do Norte, a ideia de poder ir à praia em pleno Março ou Outubro lhes possa parecer simplesmente….tropical. O senso luso diz-nos que os apreciadores destas camisas as guardariam religiosamente para uma festa na praia ou umas férias no Pacífico mas vão lá dizer isso a quem apenas tem 1500 horas de sol por ano

domingo, 24 de Maio de 2009

Estação do Rossio - Bohemian vintage

Bohemian vintage

Tinha lido algures sobre uma exposição do Titanic em Lisboa. A ideia não me tinha ficado a matutar mas quando passei em frente à estação do Rossio achei que o dito naufrágio que tanto me encantava em miúdo era um bom pretexto para matar saudades da velha (renovada) estação. Pena que o preçário da bilheteira não se enquadrasse bem no meu conceito de fazer tempo enquanto a minha companhia para almoçar não chegava. Voltei costas ao naufrágio e dei de caras com o Gonçalo. O resto da história já vocês sabem…

sexta-feira, 22 de Maio de 2009

Tertúlia sobre estilo



Estes senhores pareciam coordenar uma qualquer produção de moda mesmo ali na Alexandre Herculano. Por algum motivo que não sei explicar pareceram-me um conceito mais interessante de explorar que a modelo que dava o rosto à campanha. Ela devia ter menos 7 anos e mais 2 centímetros que eu mas mesmo assim…

terça-feira, 19 de Maio de 2009

Uma senhora inglesa no Guincho



Interessante ver o efeito que um acessório apenas consegue ter sobre todo o conjunto.

domingo, 17 de Maio de 2009

sexta-feira, 15 de Maio de 2009

Quadrados e coincidências



Percebi há já uns meses, enquanto folheava um editorial de moda da Men’sHealth, que os quadrados estavam de volta. Pela produção que ali era apresentada dei-me conta que com eles vinha atracado o visual meio descuidado de um lenhador, o olhar semi-cerrado à Bruce Willis e umas botifarras daquelas que tanto jeito me dão para conseguir olhar a minha namorada de cima. Lembrei-me do 1º concerto dos Pearl Jam em Portugal no Dramático de Cascais, em Novembro de 96, da camisa que devo ter levado, e dei por mim a pensar que sou menos imune a tendências do que às vezes gosto de pensar. De quadrados estamos conversados.
Tenho uma certa simpatia por coincidências. Não me deixam a pensar na ordem natural das coisas nem na boa ou má energia que circula pelo Universo mas acho-lhes graça. Estes dois tipos são alemães. Num espaço de 5 dias encontrei-os em plena Rua Augusta e na Fundição de Oeiras. Ok, são alemães, designers, vieram ao OFFF e lá se vai por terra uma história engraçada para contar ao jantar. Mas gostei deles, da sua receptividade à ideia, à fotografia e ao diálogo fácil. Este blogue, (tanto ou) mais que um blogue de moda ou de fotografias, é um blogue de pessoas. Não fossem elas e não teria durado mais que duas semanas.

quarta-feira, 13 de Maio de 2009

E o Terreiro do Paço parou..

E o Terreiro do Paço parou...

Ouvi uma buzina. Os automobilistas não têm por hábito vibrar com as minhas travessias nas passadeiras mas voltei-me por instinto. Ali estavam especados os mesmos dois agentes a quem tinham escapado, numa linha recta que distava entre 5 a 10 metros do seu nariz, duas propostas irrecusáveis para adquirir cocaína (dali ao Rossio a regra parece manter-se; desde que não tentem oferecer “coca” aos senhores que lá estão fardados, vai tudo correr pelo melhor). A forma como se acotovelavam evocou-me a memória de quando, em plena pré-adolescência, víamos a Mariana Cardoso do 7ºB passar à nossa frente. Agarrei a máquina com força e disparei. Uns podem gostar mais, outros menos...mas que o Terreiro do Paço parou (ainda mais), ai isso parou

terça-feira, 12 de Maio de 2009

Encore

Encore

"Não sei como conseguiste não o fotografar outra vez" disse a minha namorada quando, um dia a subir a avenida, o encontrámos a passear o cão. É mais ou menos essa a sensação que tenho sempre que me cruzo com o Luís. Quando me disse que ia para Paris em Junho não resisti e sugeri-lhe "Até lá, sempre que nos encontrarmos tiro-te uma fotografia". A resposta dele está aqui. Ganho eu, ganham vocês e ganha o Alfaiate. Espero que ganhe o Luís também

domingo, 10 de Maio de 2009

O meu (2º) precedente

O meu (2º) precedente / My (2nd) precedent

(Tal qual no meu 1º precedente) gostava de pedir desculpas a esta senhora por não lhe ter chegado a falar e, simultaneamente, lhe agradecer por estar aqui presente. Adorei o visual. Resta-me a esperança que um dia lhe seja dado a conhecer este blogue e, quem sabe, ela o adore também.

sábado, 9 de Maio de 2009

sexta-feira, 8 de Maio de 2009

(a propósito da 6a edição do) IndieLisboa






Não sou de rótulos e nem com 15 anos tinha saco para aquela história das tribos urbanas que encontram para cada penteado, comprimento da bainha das calças, cor da roupa interior ou nº de macacos que se tira do nariz uma tipologia diferente onde, se bem me recordo, havia sempre lugar para um beto, um chunga, um gótico e um dread. Mas a verdade é que tenho de atribuir nomes aos posts, ou pelo menos, entendo que a beleza e o sentido destes começa no próprio título. Assim sendo, e atendendo ao visual daqueles que aqui aparecem, à qualidade do festival e aos 50 metros que distam aquele banco do São Jorge...

terça-feira, 5 de Maio de 2009

Port de Sóller - Uma senhora inglesa num vestido "norte-americano"



"I´m just an old lady" exclamou esta senhora. "Well...I love your dress and my girlfriend agrees" respondi-lhe sorridente.

sexta-feira, 1 de Maio de 2009