domingo, 22 de Março de 2009

Um homem e o seu boné




Abordar um senhor com idade para ser meu avô merece um afinco suplementar. Ponho o meu sorriso mais angelical e forço o mesmo tom de voz que usava em tempos, à porta do Indústria e da Kapital, quando perguntava a um grupo de miúdas giras se não se importava de acompanhar 3 ou 4 mancebos com mil escudos no bolso e pouca esperança de entrar. Mas este pequeno esforço é sempre compensado. Um homem desta idade tem um encanto que nenhum outro pode ter. O homem português veste-se, em 75% das ocasiões de fato, camisa e gravata lisas (tal é a minha convicção que me senti tentado a dizer que havia um estudo da Católica por trás deste rácio). À excepção do concept man que veste todo de preto sobre uma camisa branca não compreendo tanta tristeza e enfado. Já quem nasceu antes da guerra civil espanhola parece ter auto-confiança e descontracção suficientes para usar casacos xadrez, lenços na lapela, abusar das riscas e usar boina.
Uma vez que 5 em cada 7 dias sou obrigado a usar casaco e gravata habituei-me a olhar com um certo respeito para estes senhores. Metade dos meus casacos tem padrão para jogo de tabuleiro, boa parte das minhas camisas e gravatas é de riscas, tenho por aqui uns lenços na lapela (para os quais ainda não encontrei ocasião certa) mas o boné… o boné não consigo. Mas gostava

6 comentários:

Anónimo disse...

tenho uma boina igualzinha! comprei-a numa casa na Baixa. adoro estas boinas!! gonga

Anónimo disse...

É um acessório que fica bem com fato quando usado com bom gosto, como é o caso aqui, mas realmente ainda seria muito polémico ver jovens adultos a usá-lo, sobretudo em meios mais formais.. ndre B

LAD disse...

Também há a boina Kangol virada ao contrário, à la Samuel L. Jackson. Mas essa é lisa...
; )

Luis Royal disse...

gostamos é desta gente de lisboa!
o resto é estilo internacional.
obrigado e keep on doin' this.

João disse...

Adoro a pinta da Boina, para a frente... Sr Alfaiate... falta-lhe ver se há estilo nas casas de fado e à entrada do Campo Pequeno em dia de tourada...

Teresinha disse...

porque não experimentas um alfaiate de chapéus ao pé do teatro d.Maria em Lisboa? pode ser que encontres o acessório perfeito para combinar com os teus tabuleiros de xadrez ;)